Já estamos em tempo de prestar contas para a Receita Federal?

ISS / Designed by @mindandi / Freepik

Apesar de estarmos em janeiro e o programa do imposto de renda ainda não estar disponível para download, os mais precavidos já começam a pensar na declaração do imposto de renda assim que o ano se inicia.

Esta é uma preocupação importante uma vez que a organização é um dos principais fatores para um adequado preenchimento da declaração, além de ajudar no planejamento tributário pessoal.

Com relação a esta organização, deixar todos os documentos e recibos em um local único já é um grande passo para não errar na hora de estar em dia com o “Leão”.

Muitas declarações ficam retidas na “malha fina” e, vale a pena conhecer os motivos, para que ao fazer a declaração, você esteja atento para não criar pendências com a Receita Federal.

O primeiro motivo dos erros que fazem as pessoas caírem na malha fina é deixar de declarar algum rendimento, ou declará-lo de forma diferente do que está no recibo da fonte pagadora.

Este erro é bem fácil de ser detectado pela Receita Federal pois as empresas também informam à Receita os pagamentos que realizaram.

Assim, basta o cruzamento dos dados que acontece de forma automatizada pelo programa.

O segundo erro mais comum é declarar dependentes que não se enquadram nessa categoria ou declarar dependentes que não existem.

Hoje em dia, todos os dependentes precisam ter o CPF informados na declaração.

O terceiro erro é declarar despesas médicas que não aconteceram ou que não haja comprovação.

Apesar de não ter que anexar os comprovantes no momento da declaração, a Receita pode exigir a apresentação destes se achar que tem algo errado.

O quarto erro é bem trivial: erros na digitação dos números.

E é bem mais comum do que se imagina. Um dos motivos é que o sistema da Declaração não considera o ponto como separador de casa decimal.

Ou seja, se você digitar, por exemplo dois mil e quinhentos, usando o ponto como separador de casa decimal, o sistema irá entender como 250 mil reais.

E o quinto erro é a forma de lançar os planos de previdência.

Os planos VGBL e PGBL devem ser lançados de forma diferente e muita gente se confunde ou nem sabe que existe essa diferença.

A partir de janeiro de 2021, o governo também lançou a contestação online, através do e-defesa que permite de forma muito mais ágil e simplificada o processo de acerto de contas com pendências de malha fina.

Por: Manuela Santin é Mestre em Contabilidade e Controladoria pela USP e professora de Contabilidade e Contabilidade de Custos da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

.fb-background-color {
background: !important;
}
.fb_iframe_widget_fluid_desktop iframe {
width: 600px !important;
}

O post Já estamos em tempo de prestar contas para a Receita Federal? apareceu primeiro em Rede Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal .


Já estamos em tempo de prestar contas para a Receita Federal?