Vale a pena investir na previdência privada?

Na matéria de hoje vamos falar sobre a previdência privada, você sabe o que é? Vale a pena investir? Continue conosco, vamos explicar se vale a pena ou não investir. 

Se vale a pena investir, já adiantamos que a resposta é depende, pois, é certo que guardar dinheiro neste tipo de investimento tem várias vantagens, assim como existem pontos negativos também , até mesmo pelo custo dos planos ou por uma escolha incorreta da seguradora. 

Por isso aconselhamos a fazer um planejamento para você saber como funciona a previdência privada na prática. 

O que é previdência privada?

Existem  dois tipos de investimentos

  • Previdência privada; 
  • Previdência complementar. 

São duas opções para a aposentadoria oficial ou até mesmo para atingir objetivos a longo prazo.  

Este tipo de investimento é para os segurados que assumem compromisso no fim de determinado período de contribuição a dar ao investidor a opção de comprar uma renda por toda a vida. 

Quais são os planos da previdência privada? 

O ponto positivo da previdência privada é porque eles oferecem planos que vão calcular quanto é preciso guardar por mês para acumular um valor que garanta uma renda desejada. 

O cálculo da mensalidade será feito de acordo com as simulações usando estatísticas sobre a expectativa de vida dos brasileiros divulgados pelo IBGE. 

Veja os tipos de previdência privada

  • PGBL: Esta sigla significa Plano Gerador de benefício definido, ele irá permitir o abatimento das aplicações nas declarações anuais completas do Imposto de renda. 
  • VGBL: Vida Gerador de benefício livre:  Para as pessoas que não são assalariadas ou fazem declaração simples do Imposto de Renda, este é um bom plano para investir. 

Por: Laís Oliveira 

.fb-background-color {
background: !important;
}
.fb_iframe_widget_fluid_desktop iframe {
width: 600px !important;
}

O post Vale a pena investir na previdência privada? apareceu primeiro em Rede Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal .


Vale a pena investir na previdência privada?