Conheça as mudanças na forma das empresas buscarem seus fornecedores de serviços de TI

Banco BS2

Os CIOs precisam refletir sobre o relacionamento que mantêm com seus atuais fornecedores de tecnologia.

Questões importantes estão surgindo sobre o papel dos provedores de TI, que têm sido um dos pilares do cenário tecnológico nas últimas duas décadas.

Indagações sobre como eles estão realmente colaborando com a inovação da organização, se estão oferecendo as economias prometidas e gerando resultados estratégicos ou apenas cumprindo metas são cruciais para garantir que a corporação evolua com sua inovação e, ainda, mantenha seus sistemas legados.

No mundo digital, a tecnologia não é somente um facilitador, mas um ativo estratégico e uma vantagem competitiva. E não há dúvidas: empresas que não a priorizarem podem não sobreviver!

Os chefes das áreas de TI são responsáveis por essa jornada de transformação digital e, por isso, estão sob crescente pressão para fornecer os recursos de tecnologia que permitam às empresas gerar valor.

Tal desafio está encaminhando os CIOs na redefinição de como vão se envolver e o quanto esperam de seus fornecedores de TI.

Um estudo recente realizado pela consultoria McKinsey, com 250 tomadores de decisões em tecnologia, revela que mais da metade acredita que “não há outra maneira” de atingir suas metas de transformação digital sem uma estreita relação com seus provedores.

O levantamento inclui definições como a realidade de talentos internos e a necessidade desses recursos focarem num trabalho próximo aos provedores de TI para a definição de problemas e a criação de parcerias para a execução.

A pesquisa e as entrevistas apontam para um papel ativo dos fornecedores de tecnologia ao longo da jornada de inovação das empresas.

No entanto, o foco, as expectativas e os atores que moldam esse papel atualmente são significativamente diferentes daqueles que foram considerados o padrão no passado.

Os principais motivos que levam os líderes de tecnologia a pensarem numa terceirização de TI se baseiam, principalmente, em fatores como custo, acesso a talentos, inovação, soluções demandadas pela área de negócios e serviços que não são especialidade da companhia.

Em resumo, é preciso que os provedores tragam valor ao negócio, ou seja, apoiem e executem a transformação digital, além de permitirem a redução de custos globais (talentos, infraestrutura e espaço físico), impulsionarem a inovação para o negócio como um todo e para a própria área de TI, entregarem resultados e trazerem talentos e know-how “up to date” para a organização.

Mas quem e como escolher? Atualmente, fornecedores de “nicho”, ou seja, especializados, vêm conseguindo mais espaço nas grandes empresas, se comparado aos mais reconhecidos integradores de TI do passado.

Embora trabalhar com esse tipo de serviço ocasionalmente seja mais complexo, tanto na seleção, quanto na gestão, os seus resultados justificam tal opção.

Sua empresa está revendo seus parceiros de outsourcing de TI? Aproveite este momento para planejar com cautela, pois, tendo o futuro ainda incerto, ter um fornecedor capacitado se tornará um diferencial.

Por Washington Fray é diretor de marketing e vendas da Viceri, holding de Tecnologia da Informação especializada em desenvolvimento de software customizado, consultoria e produtos digitais.

O post Conheça as mudanças na forma das empresas buscarem seus fornecedores de serviços de TI apareceu primeiro em Rede Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal .


Conheça as mudanças na forma das empresas buscarem seus fornecedores de serviços de TI