DeSTDA: Conheça a declaração do Simples Nacional

A Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação (DeSTDA), foi criada através do Ajuste SINIEF 12, de 2015, com o intuito de apresentar ao Fisco, todas as apurações mensais relacionadas ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre as Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) optantes pelo Simples Nacional.

Além do mais, é preciso que estas empresas tenham feito operações de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota ou Antecipação Tributária. 

Quem deve apresentar a DeSTDA?

A DeSTDA é obrigatória a todos os contribuintes do ICMS optantes pelo Simples Nacional, com exceção:

  • Dos Microempreendedores Individuais – MEI;
  • Dos estabelecimentos impedidos de recolher o ICMS pelo Simples Nacional em virtude de a empresa ter ultrapassado o sublimite estadual, nos termos do § 1º do art. 20 da LC n. 123/2006.

Empresas sem movimento são obrigadas a entregar a DeSTDA?

Com base na Portaria CAT nº 38, de 2018, os contribuintes sem nenhum valor a ser declarado no mês-base, não são obrigados a entregar a DeSTDA.

Por outro lado, no campo de perguntas e respostas no Portal da Fazenda, há a informação de que a entrega deve ser feita mesmo que nenhuma operação tenha sido realizada no período de apuração. 

Portanto, devido a esta disparidade nas informações, a recomendação é para que a declaração seja enviada mesmo na ausência de movimentação, no intuito de evitar problemas no futuro. 

Quando o contribuinte deve apresentar a DeSTDA?

O envio da DeSTDA deve acontecer de acordo com as seguintes operações ou prestações de serviços integralmente relacionados ao ICMS:

  • Retido como Substituto Tributário (operações antecedentes, concomitantes e subsequentes);
  • Devido em operações com bens ou mercadorias sujeitas ao regime de antecipação do recolhimento do imposto, nas aquisições em outros Estados e Distrito Federal;
  • Devido em aquisições em outros Estados e no Distrito Federal de bens ou mercadorias, não sujeitas ao regime de antecipação do recolhimento do imposto, relativo à diferença entre a alíquota interna e a interestadual;
  • Devido nas operações e prestações interestaduais que destinem bens e serviços a consumidor final não contribuinte do imposto.
  • Declaração dos valores devidos ao Fundo de Combate à Pobreza. 

No que se refere aos principais dados a serem demonstrados no documento, estes devem ser:

  • Diferencial de Alíquota (DIFAL) — consiste nas diferenças entre as alíquotas do ICMS do Estado de origem e de destino da mercadoria;
  • Fundo de Combate à Pobreza (FCP) — alíquota adicionada sobre o ICMS que tem a finalidade de reduzir o impacto das desigualdades sociais entre os Estados;
  • Substituição Tributária (ST) — ocorre quando uma empresa do processo produtivo (como a indústria) deve arcar com o ICMS de todas as demais empresas.

Como deve ser o envio da DeSTDA?

Considerando que a DeSTDA se trata de uma obrigação fiscal, os empreendedores que devem entregá-la precisam cumprir um determinado prazo, normalmente previsto até o dia 28 do mês subsequente ao da apuração.

É importante ressaltar que a declaração precisa ser enviada por meio de um arquivo digital disponível através do aplicativo SEDIF-SN, no qual é disponibilizado um Manual para o Usuário com uma variedade de explicações sobre todas as etapas de preenchimento adequado da DeSTDA. 

Vale mencionar a necessidade de se manter atento à legislação de cada estado, a qual está autorizada a penalizar os responsáveis em situações de omissão ou desrespeito no prazo de entrega.

No entanto, é preciso dizer que em determinados estados pode ser que esta obrigação seja dispensada.

Em caso de dúvidas, basta acessar o site do SEDIF ou conferir a legislação da unidade federativa na qual a sede da empresa está instalada.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.
Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Laura Alvarenga 

O post DeSTDA: Conheça a declaração do Simples Nacional apareceu primeiro em Rede Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal .


DeSTDA: Conheça a declaração do Simples Nacional