Medidas prorrogam auxílio emergencial e estado de calamidade pública até junho

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Projeto de Decreto Legislativo nº 566, de 2020, de autoria do deputado Paulo Teixeira (PT-SP), sugere a prorrogação da vigência do Decreto 6/20, que dispõe sobre o estado de calamidade pública devido à pandemia da Covid-19.

A proposta se encontra em trâmite na Câmara dos Deputados. 

Publicado no dia 20 de março do ano passado, o Decreto de estado de calamidade pública durou até o dia 31 de dezembro de 2020, possibilitando que o Executivo ultrapassasse os gastos previstos e desobedecesse às metas fiscais, no intuito de custear ações em prol ao combate à pandemia. 

Na oportunidade, o deputado lembrou que mesmo diante da etapa inicial da vacinação contra a Covid-19, ainda não existem perspectivas concretas sobre a imunização em massa da população brasileira, ao mesmo tempo em que o país já está enfrentando uma segunda onda da pandemia. 

“Sem alternativas, torna-se urgente a prorrogação imediata do Decreto Legislativo a partir de 1º de janeiro de 2021, tendo em vista que não há indicativos de que os índices econômicos e sociais venham a melhorar”, observou o deputado.

O estado de calamidade pública serviu como base para a elaboração e vigência de diversas medidas no ano passado.

Uma delas e a principal, foi a criação do auxílio emergencial voltado para a população brasileira em situação de vulnerabilidade social, com o valor inicial de R$ 600 e posteriormente prorrogado com a oferta de R$ 300.

Agora, o Projeto de Lei nº 5514, de 2020, dispõe sobre a implementação do “auxílio emergencial consecutivo” até o dia 30 de junho de 2021, o qual deverá ser pago em até seis parcelas mensais de R$ 600 ao trabalhador informal ainda devido à pandemia da Covid-19.

No momento, o texto está em trâmite pela Câmara dos Deputados. 

O autor da proposta é o deputado Fábio Henrique (PDT-SE), que alegou que a intenção do PL é evitar que milhões de cidadãos brasileiros inicialmente atendidos pelo auxílio emergencial através da Lei nº 13.982, de 2020, e pelo auxílio residual (a prorrogação com parcelas de R$ 300), fiquem totalmente desamparados. 

Isso porque, com exceção dos lotes residuais, o auxílio emergencial foi oficialmente extinto no mês de janeiro de 2021. 

“Sem formas de obter recursos, as famílias então beneficiadas necessitam que o auxílio seja prorrogado, pois a pandemia persiste”, diz o parlamentar.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Regras

Com base no projeto, os beneficiários deverão atender aos requisitos da legislação inicial responsável pela criação do auxílio emergencial

Portanto, terão direito ao auxílio consecutivo:

  • Quem tiver conseguido emprego formal após recebimento de parcelas anteriores; 
  • Os trabalhadores que tenham obtido benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal (exceto Bolsa Família) nesse período; 
  • Aqueles que passaram a possuir renda familiar mensal per capita acima de meio salário mínimo e renda familiar mensal total superior a três salários mínimos; entre outras hipóteses.

É importante ressaltar que o recebimento do auxílio emergencial consecutivo será limitado a duas cotas por família, sendo que a mulher chefe de família terá direito a receber parcelas mensais no valor de R$ 1.200,00.

Bolsa Família

No que se refere aos valores devidos aos cidadãos que também são beneficiários do Bolsa Família, será feito o cálculo da diferença entre o valor total previsto a título do auxílio emergencial consecutivo, e o valor previsto na soma dos benefícios financeiros determinados pela Lei do Bolsa Família. 

Se por alguma razão o montante direcionado à família pelo programa assistencial for igual ou maior que o valor do auxílio consecutivo, serão pagos apenas os benefícios do Bolsa Família. 

Por Laura Alvarenga 

.fb-background-color {
background: !important;
}
.fb_iframe_widget_fluid_desktop iframe {
width: 600px !important;
}

O post Medidas prorrogam auxílio emergencial e estado de calamidade pública até junho apareceu primeiro em Rede Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal .


Medidas prorrogam auxílio emergencial e estado de calamidade pública até junho